sábado, 30 de agosto de 2014

ALVEJAR A LUA

Agosto. Ninguém espera o duelo mas, os agora amigos, combinam defrontar-se. Toda a gente vem para a rua, vê-los alvejar a Lua.


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Selfie

Esticou o braço, apontando o celular para o seu rosto. Olhou para o lado. Apertou a tela. Click.

Ergueu o celular, fez um biquinho, de leve. Apertou a tela. Click.

Mudou o celular de mão, balançou os cabelos e os jogou no rosto. Pôs a língua para fora, no canto da boca. Click.

Pôs óculos escuros no rosto. Click. Mordeu os lábios. Click. Fez carinha de “to chupando limão”. Click. Pôs um pirulito na boca. E click.

Visualizou as fotos na tela. Se curtiu. Aí, postou tudo no feicibuque. E esperou os outros curtirem.
Mas pouca gente se manifestou.


Ficou triste. Procurou uma frase de efeito para ilustrar sua tristeza. Achou uma da Clarice Lispector.

domingo, 24 de agosto de 2014

Exercício de semântica



Uma calda espessa escorre
apagando a paisagem
o estranho molho molha
a cauda do camundongo
a fachada da sede do AA
a sede do camelo no Saara
a estampa do tecido do tudo
até que não sobre nada sobre nada

Faço um acordo com os deuses do sono
e acordo



sábado, 16 de agosto de 2014

PIT-BOY



Tinha braços de leão,
tórax de touro,
garras de águia,
sangue de fera.



Só lhe faltava um coração de gente.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Senhor, em que posso lhe ajudar?


Ligou para o restaurante.
- Boa noite, senhor, em que posso lhe ajudar?
- Gostaria de fazer um pedido.
- O que o senhor deseja?
- Eu queria um amor verdadeiro.
Uma pausa longa. Ele esperou por uma resposta atravessada. Ou por compaixão.

- Não encontro no sistema. O senhor poderia fornecer o código do produto?

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

...







Chorou ao identificar o corpo. 
Ao pegar o lenço sentiu, ainda no bolso, a faca.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Baleado


Quando chegava ao quarto cambaleando, sentia-se como um voluntário do atirador de facas; Enquanto a cama girava, ele ficava inerte, incapaz de desviar das acusações.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Eterna



A poesia é metáfora, símbolo, pergunta e resposta em si mesma, procurando cada vez mais folhas para morar. Pode ser que um dia algo pare, mas ela nunca.


Joakim Antonio



Imagem: Eternity by Kalessaradan