sábado, 19 de fevereiro de 2011

das coisas repetidas

-o que a gente faz quando percebe que a pessoa que a gente ama está nos esquecendo?
-some.
-mas aí ele me esquece de vez.
-juro. o melhor que pode fazer agora, é sumir.
-mas e o que eu sinto?
-como se você nunca tivesse sofrido por alguém, né querida. some.

e ela sumiu. e ele veio me procurar irritado, perguntando o que tinha acontecido, que só podia ter sido coisa minha.

-não querido, ela nem falou comigo, simplesmente sumiu. por que essa pergunta? você mesmo me disse que estava enjoado dela.

no que eu vi a centelha sacana da paixão brotar nos olhos do mancebo.

ai que chato, que os séculos passam e os homens continuam tão iguais.

5 comentários:

Lívia disse...

a mais pura verdade! ótimo texto =)

CARLA STOPA disse...

Adorei teu espaço.

Joakim Antonio disse...

É bem por aí paco, todos continuamos muito iguais, as mulheres se permitem mais!

Abraços!

Graça Carpes disse...

Pois... Que é.
:)

Cris Linardi disse...

Muito bom, parabéns!