segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Teu Nome



O proclamo do silêncio
Revigora o sangue interior
O Teu Nome que eu chamo
É a cura da minha dor

Na união com a minha pele
Eu me faço um clamor
Na libertação da minha fé
É o Teu Nome que dá amor

Na dificuldade dos anseios
Eu recaio em torpor
Mas tua força me suporta
O Teu Nome é libertador

Na glória da sabedoria
A alma busca o crescimento
Um elemento imprescindível
O Teu Nome é o meu sustento

4 comentários:

Graça Carpes disse...

Após a reza... Curiosa para saber o nome - rs

Alexandre Fernandes disse...

Em toda a reza,o 'Amém' fica implícito para ser dito depois de terminá-la... Não é preciso escrever o que falamos por instinto.

No mais é apenas um poema falando da busca a Deus e força do seu nome na nossa vida.

=)

Rolando disse...

oi. estive por aqui. muito lindo. apareça por lá. abraços.

Rodrigo Passos disse...

ritmo nos versos, gosto disso!!!!