domingo, 7 de março de 2010

Loucura&Silêncio

imagem: Murat Harmanlikli


Não fosse esta loucura
serias mais que abstração nesta linguagem de ícones
que se movem como formigas gigantescas
a carregar consigo as lembranças.

Não fosse este silêncio
regressarias de tuas viagens, mesmo com ressaca de viver
ou tédio a corroer tuas esperanças que em vão
se movem como ratos a remexer latas na despensa.

Não fosse esta loucura
estarias presente em meu cubículo a bater-me na cara,
coagindo-me a dizer mentiras que lhe agradam,
apenas para salvar-lhe da névoa que encobre teu rosto.

Não fosse este silêncio
viria possuir-me o teu espírito em noites sem lua
em tempos de mistério e sombra, simplesmente
pra fazer gracejos e brincar sobre meu corpo quente.

Não fosse esta loucura
não serias só palavras rabiscadas por mãos trêmulas
em muros carcomidos, onde a alvura da cal
não esconde os desfavores do tempo.

Não fosse este silêncio
não terias ido embora pra longe destes olhos
deixando a este louco apenas o consolo
de versos obscenos no espelho do banheiro.

Mas, terias me libertado.
Desatando os nós que nos envolvem;
quebrando este silêncio que devora
as entranhas sufocando em nós o ânimo.
Quebraria este espelho que revela
a nossos olhos as misérias
a que nos condenamos;
Romperia o cordão que injeta em nós venenos.
Abortaria, pois, este desvanecimento
que nos rouba lentamente um do outro,
tornando loucura a tudo que um dia
dissemos querer da vida.

5 comentários:

Bete Maia disse...

Loucura seria se vc não existisse para poder nos comtemplar com poesias que são tão necessárias e alimentam nosso interior. Bj

valvesta disse...

Meu querido, cheguei e gostei.
...se não fosse tantas e tantas coisas como tudo podia ser diferente, e o silencio não nos levaria a loucura.
como sempre profundo, questionando o interior, do que sentes brota sempre perguntas e respostas a quem o le.
beijos , estou por perto...

Cássio Amaral disse...

3 de março de 2010

Revolução Industrial

Arquear o vôo riscando onomatopéias.
Além do POEMA DIA a crise.
O caos alimentando MANUFATURA do capitalismo.
Postado por Cássio Amaral às 22:42:00 0 comentários


Nas Entrelinhas

O hipertexto dialoga com o pré-texto.
-Estou além das possibilidades.
-É, pode estar. Já eu estou apaixonado.
-Por quem?
-Pelas entrelinhas.

Cris Linardi disse...

Intenso. Só uma palavra quase muda me sobrou presa entre dentes.

Larissa Marques disse...

grata por seu engajamento e parceria!