sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Breviário d’versos

Breviário d’versos

1.

quero a palavra disforme
análoga à forma das nuvens
prenúncio de coisas tardias
vazio sem nome –
             buraco negro a engolir estrelas.

quero o verso vazio
poesia de coisa nenhuma
silêncio em seu contrário
vazio sem nome –
             Sputnik a vagar no espaço.

quero o regresso à terra
o abraço do solo escuro
anúncio de coisas inúteis
vazio sem nome –
              Morte a engolir a vida.

2 comentários:

isaias de faria disse...

flávio, esse poema é perfeito! leio e leio e leio e gosto cada vez mais dele!
abraços meu velho

Flávio Otávio Ferreira disse...

Valeu meu amigo! Seja bem-vindo sempre! Abraços!