sábado, 11 de junho de 2011

Presente de grego


Pediu com tanta fé, que lhe nasceram asas. Correu todo contente para o prédio mais alto e se jogou. Sentiu o vento cortante no rosto, enquanto das janelas todos apontavam incrédulos, alguns histéricos gritavam ser obra do demônio, outros ajoelhados exclamavam ser obra de Deus. E ele, enquanto rodopiava e caía sem controle, pensava: devia ter testado essa bosta antes.

Joakim Antonio 

Um comentário:

LUZ disse...

Olá Kim,

Que conto pequeno, mas com tanto simbolismo!
Me visite, quando desejar.

Bjs de luz.