quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Um completo incompleto



Caminhava atento, preocupado, apressado e cheio de planos a serem postos em prática. Com data, hora e local previamente acordado com a sua consciência e agenda.

A sua agenda nunca estava preparada para imprevistos, mas visto que eles sempre acontecem, Pedro falava mal de qualquer um que passasse em sua frente, ou de dois, ou de todos os que ele achasse necessário falar mal até que passasse a sensação de impotência diante da impossibilidade de honrar um compromisso agendado.

Logo ali, ao lado do escritório de Pedro, trabalha Artur.

Artur é um homem paciente e a sua paciência geralmente incomoda pessoas que comem no Mc Donald’s (porque não podem esperar muito tempo por um prato em um restaurante). A agenda de Artur também está cheia de compromissos, tanto quanto a agenda de Pedro. Artur só não admite prazos apertados demais para realizar os seus trabalhos publicitários, não se sente incomodado nem mesmo quando os seus clientes deixam de ser clientes. Artur vai ao cinema, freqüenta teatro, lê bons livros, dorme até tarde aos domingos, vai à academia pela manhã. Muitas pessoas o vêem como um sujeito preguiçoso. Artur sabe que, em suma, a marca mais forte de uma personalidade é o que essa personalidade é capaz de produzir.

Pedro é engenheiro, constrói prédios para abrigar pessoas. Pessoas nascem a todo instante para produzirem mais prédios e gerarem mais pessoas. Essas pessoas consomem produtos que a empresa de Artur faz propaganda. Artur é quem conceitua. Sua metodologia consiste em atender as necessidades do consumidor moderno: praticidade, agilidade e eficiência, agregando a melhor qualidade possível.

Artur vende o conceito que Pedro compra, Pedro vendeu a sala onde Artur trabalha. Ambos trabalham, mas não sabem para quem. Se para os filhos, se para a humanidade, ou se para eles mesmos.

Artur tem mais fotos, têm mais porta-retratos e dois filhos com a esposa de sempre. Planeja escrever um livro e às vezes precisa tomar antialérgico porque tem rinite.

Pedro é separado, casou duas vezes: tem dois filhos do primeiro casamento e um filho do segundo. Namora Tatiana, vinte anos mais jovem que ele. É hipertenso, fuma e consome bebidas alcoólicas.Pedro gosta de lugares caros, sofisticados, sem barulho e com pessoas de um nível cultural elevado. Não suporta imprevistos.Artur gosta de conhecer novos lugares e costumes. Acha agradável ser surpreendido. Gosta de karaokê e reuniões em família nos finais de semana.

O sonho de Artur é fazer rali.

O projeto de Pedro é terminar o ano com um lucro maior que o do ano passado. Não pensa em casar e acha perda de tempo ler crônicas.

Artur chegou cansado em casa, tomou um banho, jantou e, depois, foi até a sacada onde estava à esposa e, com um ar de todo sorriso, a abraçou.

Ela perguntou o que havia acontecido, ele sussurrou algumas palavras no seu ouvido. Ela sorriu e o beijou.

Pedro chegou cansado em casa, sentou no sofá, colocou uma dose de uísque, fumou um charuto e adormeceu ali mesmo. Despertou com um telefonema que o deixou irritado, tomou alguns calmantes, ligou o despertador e dormiu pensando sabe-se lá em quê, ou em quem.

No outro dia, as manchetes dos jornais davam conta de um estudo científico denunciando o aquecimento global e algumas previsões apocalípticas. Um dos dois ficou preocupado ao ler a reportagem, o outro estava preso em um congestionamento, observando crianças fazerem malabarismos, não leu nada, não sabe de nada, até agora.

Um comentário:

Monica Mamede disse...

!

Volto.


Beijo grande