quinta-feira, 30 de abril de 2009

Como que sem querer

O amor chega de fininho

E, por mais que chegue em silêncio, desperta algumas curiosidades

Também acorda os medos, que têm o sono ainda mais leve, transtornados

2 comentários:

Marcos Côrtes disse...

Simples e interessante.... parabéns : )

Cristina Linardi disse...

Ah, amor, sorrateiro amor...