quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Conversão

Franco Fontana


Em solavancos vou levando a vida.
Escrevendo livros que se perdem
Em esquinas obscuras e obscenas.
Vou poetando o que é suburbano,
Subumano, sub-mundano.

Vou me pervertendo,
Convertendo-me insanamente.
Trocando olhares com prostitutas
E beijos com donzelas mais putas que as putas.

Vou bebendo o fel como se fosse mel,
Veneno diário que me sustenta.
Vou me alimentando de orgias
E fazendo cirurgias pra mudança de sexo.

4 comentários:

Silvana Nunes .'. disse...

Maravilha o seu cantinho.
Clicando daqui, clicando dali, cheguei até você.
Gostei do seu espaço.
Certamente voltarei mais vezes.
Convido a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Saudações Florestais !

Silvana Nunes .'. disse...

Maravilha o seu cantinho.
Clicando daqui, clicando dali, cheguei até você.
Gostei do seu espaço.
Certamente voltarei mais vezes.
Convido a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Saudações Florestais !

Lisa Alves disse...

a margem é o centro do mundo!

FláPerez (BláBlá) disse...

donzelas mais putas que as putas é ótimo!