terça-feira, 19 de abril de 2011

uma história real surreal

acordei com um vestido (que não era meu) todo molhado, com o pé cortado, abraçada numa vassoura e um disco dos Beatles (original!!! ai que vontade de roubar! não posso! vou! não posso!), na casa de sei lá quem. mas que p..... casa de gente rica, com piscina, um silêncio danado em pleno meio-dia. mas que m.... fui descendo a escada e tinha um cara sentado num sofá lendo jornal. ai que lindão. será que eu dormi com esse aí? -Olá, bom dia. Está se sentindo melhor? -Ah, sim. É...qual o seu nome? Desculpe. -É. Peraí, você não lembra de nada? -Humm, não moço. Desculpa. -Imaginei. Chamei um táxi para você. Está te esperando lá fora. Tenha um bom dia. -Humm, ah, obrigada. É. Posso fazer uma pergunta? ele só levantou a sombrancelha. -A gente....? - eu levantei a minha sombrancelha. -Não, definitivamente eu jamais dormiria com alguém que mordeu meu cachorro. -Humm, nossa. Virei as costas e ainda saí da casa dele andando toda metida, naquele vestido que devia ser da mãe dele provavelmente, pela expressão de ódio na cara do rapaz. Nessas horas, leitor, o melhor a se fazer é não fazer nada.

3 comentários:

Tatiana Carlotti disse...

muito bom, Larissa. rindo um bocado aqui, acho que todos guardam dias surreais no baú. Morder cachorro foi ótimo... Beijo!

valquiria calado disse...

EU FINGI QUE NADA ENTENDI, SERÁ QUE ENTENDI?


FELIZ PÁSCOA A TODOS, ABRAÇOS.

"Uma amizade fiel é um abrigo seguro; quem a achou descobriu um tesouro."

Paco * disse...

chag pessach sameach a todos

beijo da judia