sábado, 19 de abril de 2008

Entre becos

Subúrbios gritam
Por todos os lados
Ao sufocar o mal
Acorrentado pelo preconceito
Na dor de ser esquecido
Pela marca da indiferença
No desamparo do desamor
Assolados por entre becos
Invadem as casas
Num grito
Sem voz
Sem platéia
Em sua permanência da solidão
Para sentir o seu eu no vazio

2 comentários:

Winter Orchid disse...

Esse poema está lindo! Muitos parabéns pelo seu blog; adorei! =D

Chá de Fita disse...

é no silêncio onde precisamos falar mais alto...