sexta-feira, 11 de junho de 2010

Não te esqueci

 

Entro e vejo você no canto, rosto para parede, esperando meu toque que a tanto não sente. O silêncio toma conta do quarto e sinto que você me culpa pelo esquecimento, mas minhas mãos tocam outro corpo agora. Sei que é difícil, passamos muitas horas juntos, durante anos seu corpo curvilíneo vibrava com meu toque, pedia pelos meus dedos e desabrochava em lindos tons e canções. Você se culpa pois sabe que ajudou a nos unir, ela sempre falou bem de você e adorou quando nos viu e nós adoramos quando ela aplaudiu, então não tem porque o ciume agora. Sentindo seu silencio, sei que também tenho culpa, afinal sempre fomos dupla e eu deixei você de lado, mas ainda gosto de você e isso é fato, houve apenas uma confusão e foi aí que saímos do trilho, eu te amo, mas não como à uma amante e sim como à um filho. Olhe para mim e diga sinceramente se não é isso que você também sente, está vendo como tudo mudou agora, ah, eu conheço esse olhar, sabia que você ia entender, apesar de parecer antigo você é uma criança, então vem, sente minhas mãos e fica no meu colo, vamos brincar, cantar e alegrar o mundo todo agora. Vamos correndo contar à ela, quem sabe em forma de canção, não se preocupe nem se envergonhe, ela não pedirá explicações.

Pois desde o começo ela dizia, adoro ver você com seu violão!

E a música voltou a tocar...


Joakim Antonio

Um comentário:

Re Fagundes disse...

Lindoooo...

leve, doce, sincero, perfeito!

Amo o que vcs são qdo estão juntos :D

Só amo..é isso