domingo, 11 de julho de 2010

Força da natureza


Mulher é tempestade que chega, trazendo em seu íntimo, forças incomensuráveis.

Tempestade de raios que se espalha, onde passa deixa seu rastro, onde cai finca sua marca e somente o homem sem medo do trovão, poderá usufruir dessa força mutável que ao atingir-nos, para o coração por um ínfimo e no instante seguinte nos energiza, nos enfeitiça.

Possuídos, sentimos quando é brisa a chegar e ansiamos mais que a calmaria, queremos furacão a nos tomar, pois após sentirmos o gosto dela, desejamos sempre, mas não para tê-la como posse, não para exibi-la ao pobres, que por falta de espírito não tiveram a mesma sorte, não ousaram molhar-se na tempestade, desejaram a brisa suave, em vão, pois se assustam e tremem com o barulho do trovão.

Eu quero ela sempre tempestade, de manhã ao cair da tarde, porque só quem entra no furacão, descobre que andando junto ao seu centro, fará parte dela e terá eternos e ternos bons momentos. 


Joakim Antonio

Um comentário:

Cris Linardi disse...

Me vi aí. Encantador.
Eu que suspeitava que todos os homens se escondiam com medo do furacão.
Muitos beijos tempestuosos!