quarta-feira, 7 de julho de 2010

Poeminha

Poeminha

Contudo me darei inteiro
Mesmo que de mim
Reste apenas um pedaço.

E do pouco que terei
Para oferecer-te
Ter-se-á a melhor parte.

No que há de mim perdido em frangalhos
Há, enfim, precioso fragmento
Das partes imputadas em cabais momentos
Meu inteiro é tudo que preciso

Te oferto em meio a risos
pequeno estado de contentamento
Dividido em partes de improviso
O que a ti agrada plenamente!

3 comentários:

isaias de faria disse...

bom ler poemas assim tão bons meu amigo. valeu, e continuemos a criar.

Glauber Vieira disse...

Bom texto, bem conduzido...

Márcia Maia disse...

tão bonito!