domingo, 4 de julho de 2010

Hiato

Tudo pela metade

sinto-me
transparente

Beijo o cigarro
como quem beija o asfalto
após passar um carro engasgado

nada começa
nada termina

hiato

Decido que a vida
não chegou ao limite
sou apenas
vírgula

4 comentários:

Cris Linardi disse...

...lindo. só uma vírgula, mas às vezes parece um cruel ponto final.

Mónica disse...

Boa noite, gostei de vir e ler as tuas letras. Uma vírgula e importante nesta vida.

Valéria Gomes disse...

Muito bom!!!

Beijos!!!

Graça Carpes disse...

Gosto das vírgulas.
:)