segunda-feira, 15 de outubro de 2007






Ó espaço pequeno dentro de mim!
Para viver serrada do avesso
Sufocada no atropelo
Catapulta de estopim


Imagem de mistério
Progamada no passado
Cozida no vapor
em chamas do pecado

Pega-me aos tapas!
Sou mesmo seu triste souvenier
Esquecida na prateleira
Outrora cravada em marfim


Não quero companhia
Esta noite sou meu par
vestida de corvos
Com a orelha de Van Gogh
Me convido a dançar
(imagem:Van Gogh com a orelha cortada)

2 comentários:

Ela disse...

AS VEZES é tão bom sermos nosso próprio par!

alexandre disse...

Um belo self-poema!