sábado, 3 de maio de 2008

Do nada à Fernanda


Eu tinha
NADA
Mas a vida se rearruma, ela sempre
ANDA
E do mesmo nada inicial
Somou-se uma letra ao início
NANDA
E com ela redescobri a fé de viver
FÉ NANDA
Mas faltava um meio!
Algo entre essa fé e ela!
Sim faltava! Aquilo que faz do amar um Verbo, a ação!
FERNANDA
E já basta...

Augusto Sapienza

2 comentários:

Larissa Marques disse...

Mulheres, elas enfeitam o mundo... Lindo!

Deveras disse...

É sempre bom homenagear alguém que gostamos com um escrito.

ficanapaz