sábado, 29 de novembro de 2008

parca







Alguém vaticinou
em eras perdidas,
entre sonhos e
quimeras ,
entre uma volta e outra
do fuso
que não nos veríamos jamais.

Trapaceiro decidi
...vou vendado

fecha os olhos
o vaticínio se mantém
e você não terá me visto
nem eu também

pronto
problema resolvido
sucesso garantido
o resto era acessório

tua pele e a minha
tem um mapa
que conheço bem

....vou deixar escritas
Instruções
Em braile
gravadas na pedra

responde,
e qualquer dia te pego...
numa parede qualquer.


7 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Rosa. Muito bacana o teu poema, tem um cuidado estético interessante. Abraços.

Barone disse...

Gostei tbm.

fred disse...

Gostei muito.

Larissa Marques disse...

que lindo, Rosa!
Sê bem vinda!

Rosa Cardoso disse...

Obrigada aos três rapazes e a Larissa.

Flávio Otávio Ferreira disse...

Nossa...gostei do rítmo!
ótimo trabalho!

"vou deixar escritas
intruções
em braile
gravadas na pedra..."

ESTUPENDO!!!

Barbara Leite disse...

Muito bom Rosa!
Beijos