domingo, 28 de fevereiro de 2010

Cena Noturna

Começaram a brigar tarde da noite.

Acordei com o rasante voo da televisão a globalizar a queda janela abaixo.

Depois, tímido atirou-se por trás da cortina, a coleção de CDs da MPB – talvez uma tentativa de fuga. Vi Chico Buarque cantar “Rita” ao cruzar vertiginosamente por minha janela, seguido por Joplin rouca e louca.

Pensei na complementação dos opostos

Ouvia a voz de um gritar ao outro em acusações quase obscenas.

Cenas de um cotidiano...

- FAMILIAR – gritava o vizinho do décimo. E não sei se em referência ao cotidiano ou ao prédio.

Passava das dez quando os corpos tombaram.

Primeiro um e logo o outro, como se mão do primeiro carregasse o segundo.


Dois tuns!


Já passava das dez.

Silêncio...

Apenas os olhos de um gritavam aos olhos do outro...

Vermelhos obscenos.


- Graça Carpes -


..........................................

5 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Pungente e cheio de referências... :)

L. Rafael Nolli disse...

Muito bom, Graça! Uma bela cena noturna!

isaias de faria disse...

gostei bastante mesmo.

Graça Carpes disse...

Francisco, Rafael e Isaias... Gracias por seus carinhosos comentários.
:)

Larissa Marques disse...

grata por sua parceria!