quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Opostos


Gosto de Opostos
daqueles com Gritos
ou Silêncios
no meio da Multidão

Delicio-me ao ver
a Beleza da Dor
ou o Visco que há
na singeleza do
Fim do Amor

Rio-me da Dicotomia
entre a Paz e a Guerra
arriscada pelo Estopim
de uma Centelha

e

Valho-me da Certeza
que o Tudo
completa o
Nada

E que sem os Opostos
o Mundo se Acaba


Caroline Schneider

4 comentários:

Graça Carpes disse...

Bela composição entre palavras e imagem.
:)

Joakim Antonio disse...

Um poema Ying Yang, onde opostos se atraem repelem e se mesclam em versos.

Parabéns!

Cris Linardi disse...

Poema delicinha...

Parabéns, poetisa!

Rui Ventura disse...

Que bom que vc está de Volta querida.

Lindo....
Bjks