segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

amor























serviu-me a flor como prato principal. ensinou-me arrancar pétala por pétala até chegar ao coração. esse sim, era iguaria fina desconhecida ao meu paladar que aprendi a degustar e salgar por suas mãos teatrais. no décimo terceiro capítulo ela descobriu que a alcachofra não é flor e sim inflorescência, como o abacaxi. juntou os papéis de seu último pretenso livro e os jogou pela janela, rindo! um copo com uísque, não em grande dose mas o suficiente para fazê-la dormir.

6 comentários:

Mineiro Mateus Juzé disse...

Ritmo ,legal...construção bem contruida,e fundo que se impoe.gostei

isaias de faria disse...

ÓTIMO! SEMPRE POESIA DE QUALIDADE AQUI. ABRAÇOS

Joakim Antonio disse...

Enquanto isso essas pequenas e belas doses, como a sua, me fazem acordar cada vez mais, dentro da poesia.

L. Rafael Nolli disse...

Fino, fino esse texto, Larissa!

Larissa Marques disse...

obrigada, caríssimos!

Cris Linardi disse...

Quase um gingado, adoro...