domingo, 19 de agosto de 2007

Jogos



Você acha que sabe
Com suas armas e jogos
mas deixarei você na linha
perdendo todo o seu tempo por nada

No seu mundo
Você não sabe o que há
Cada um tem que ser o que é
E você tenta manipular

Observarei os seus passos
O movimento do cinismo
Nos olhos da traição
Você se envenena no seu próprio ódio

Eu estarei aqui
Assistindo na platéia
Você perder o seu tempo
E ser sufocado pela sua ira

5 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Cláudia, isso é o melhor a se fazer, diante de gente desse naipe. Da platéia assistí-lo morder a própria mão e se envenenar. Como ororoboro, que engole a si mesmo até desaparecer.

Leandro Jardim disse...

Uau! hehe...

ir à ira
e voltar
à pira

abs
Jardineiro-o-o-o

Glauber Vieira disse...

A idéia tá boa, o poema é singelo e vai direto ao ponto mas acho que faltou um pouco de ritmo; acho que uma revisadinha final cai bem. Bjão Cláudia!

Larissa Marques disse...

Jogos são necessários, somos seres lúdicos! Beijo!

Claudia Menezes disse...

Obrigada pessoal por postar .. Beijins a todos ..
Jogos benéficos ou maléficos serão necessários ?