sexta-feira, 10 de agosto de 2007

in.quie.ta.ção

Me enlace
Me abrace
Enquanto ainda sou moça e
me torça o pescoço
(não precisa ser com força,
basta quebrar o osso)

não quero me ir de cansaço
nem quero me ir de doente
(de fígado, de rim, de baço)!
prefiro ir de repente.
não quero morrer numa cama,
sofrendo com a dor me fazendo calo
que seja de queda
de quebra
de tiro.

prefiro morrer de estalo
faz bem mais
o meu estilo.

quero um piscar pra morte breve
que não passe
do espaço de um soluço

pra mim tem morte certa.
não quero morrer na siesta,
prefiro morrer de susto.

6 comentários:

Glauber Vieira disse...

Legal Czarina, teu texto tem melodia, é quase musical, e foi muito bem escrito.

Leandro Jardim disse...

Perfeito!

alexandre disse...

Uma brincadeira legal com a hora da morte...

*Caroline Schneider* disse...

Amei! Sem mais delongas... PARABÉNS! Beijocas estaladas!

Larissa Marques disse...

Padrão Nath, maravilhoso. Saindo na lata texto com ritmo, gostoso de ler. Beijo!

medusa que costura insanidades disse...

Perfeito,estatalante...adoro seus dizeres....