quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Sobre o desejo


Foto: Geisa Cruvinel


Esse caboclo quer arrancar da minha pele cada gota de suor guardado no inverno. Eu fico esperando bem do jeito que ele gosta: com os cabelos desgrenhados e florida até os dentes, depois de hidratar os contornos que ele sabe passear tão bem.Espalho alfazema pela casa enquanto canto a canção que diz do amor maior, daquele que arrepia até o próprio desejo.Ele me ouve longe, diz que tenho voz rouca agridoce boa de ouvir BOM DIA! (e de deixar o dia bom mesmo).É que esse seu cheiro de mato combina com minha saia levantada e com meu desaguar intenso:barulhinho de cachoeira violenta logo ali,atrás daquela pedra.Sei que tem tanto sol na morenice dele que eu deveria me besuntar inteira de filtro solar.


Mas estou tão ocupada, recortando corações de cartolina.

*

*

4 comentários:

João C. A. disse...

Inevitável eu dizer que o blog parece de ampla beleza e potência literária. A conjugação de forças artísticas hoje, de forma coerente é tão rara quanto um eclipse. Escrevo para todos os escritores daqui, tendo lido até agora só texto do thorpo. Convido todos vocês a irem no meu blog o pulo do tigre.

Agora vamos ao comentário.
É suave o texto como uma realidade doce. Lembra Adélia Prado. E tem algo de um amor de fazenda, de affair em férias. Belas palavras.
:)
é isso.

Larissa Marques disse...

Que lindo...preciso muito ler mais amor. Adorei. Beijo!

Glauber Vieira disse...

É singelo, bem escrito. Uma graça de texto!

Leandro Jardim disse...

Coisa boa!
:)